...

OS ANOS SETENTA...


Em 1978, a jornalista Ana Maria Bahiana, ao ver minhas vinhetas no Jornal de Música, me indicou para a cineasta Tania Quaresma para ilustrar um cartaz de cinema! Foi meu primeiro trabalho "sério". O filme era o "Trindade", com a participação de 12 músicos. Imaginei uma imagem circular como o Zodíaco e, como não dominava as tintas, fiz o cartaz todo a lápis e nanquim. Demorei um mês.



No final dos anos 70, um amigo que trabalhava em uma fábrica de placas de automóveis no Méier me pediu para criar uma mini-placa para carrinhos de bebês. Minha idéia era "Mamãe, não corra!" que achei muito sugestiva para um carrinho de bebê, mas o cara que prensava as placas não pensou da mesma maneira e prensou logo umas 500 placas com "Papai não corra"... (Nos anos 60 era comum alguns motoristas fixarem uma plaquinha imantada no painel do carro com a inscrição "Papai, não corra!" junto com o retrato do filho, daí o cara da prensa achar que EU que é que estava enganado).


Em 1976, meu amigo Marcelo me apresentou ao organizador de uns bailes do subúrbio do Rio que me pediu pra criar um cartaz. Até hoje não entendo por que aqueles bailes em Vila Valqueire e Madureira se chamavam "Ipanema DiscoDance".....


Em 1973, aos 17 anos fiz uns "bicos" como desenhista de silk-screen. Um amigo que tinha uma estamparia em Parada de Lucas (a grife se chamava "Lucas' Stop") me encomendava desenhos a nanquim em papel vegetal. Queria que eu copiasse os desenhos do Crumb que saíam na revista "O Grilo", mas quando tentei "publicar" o desenho acima, ele achou muito pesado para o ambiente hippie da época...

Um comentário:

  1. Era Ipanema pq o Fernando morava em Ipanema e queria conquistar o RJ pelo suburbio como a Furacao fez...eu era o o iluminador e gerente e chefe geral de mim mesmo..so tinha eu na equipda "graxa"...aprendi mto ali com o Ricardo que era um sargentao e anos depois lançou a Angela Ro Ro...putz, q epoca! eu tinha uns 20 e poucos

    ResponderExcluir